Seguidores

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Respira Geovane Pereira a Bahia está com você

ASSISTA REPORTAGEM DO SBT DE BRASÍLIA SOBRE O CASO DE GEOVANE PEREIRA.















Nosso amigo Geovane precisa URGENTE de um ventilador mecânico novo, que tem o valor de R$ 50 mil, a família já arrecadou R$ 6 mil. Quem quiser ajudar entre em contato via Facebook ou ligue

ESTAS SÃO AS CONTAS DELE PARA DOAÇÃO: AGENCIA 0791 OPERAÇÃO 013 CONTA 33203-1 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL... GEOVANE PEREIRA DE R.BRITO OU AGENCIA 077 CONTA 007908-3 BRB GEOVANE PEREIRA DE R.BRITO

http://www.facebook.com/photo.php?v=357596044337971
Vamos todos curtir ,compartilhar e divulgar para que consigamos mobilizar o máximo de pessoas possível , mude seu sobrenome no perfil para respira Geovane e mande mensagens para as paginas do governo descritas mais abaixo .Assim conseguiremos pressionar os nossos governantes para que eles respeitem os direitos que nossas crianças tem de terem atendimento médico de qualidade .Aqui estaremos divulgando contatos de canais de tv e políticos para que todos nós divulguemos esta causa tão nobre .Curtam a páginahttps://www.facebook.com/GeovanePereiraPrecisaRespirar?ref=hl
link da reportagem no sbt sobre Geovanehttps://www.facebook.com/photo.php?v=357596044337971
Vamos entrar na página do governo de Formosa e deixar recados nas postagens feitas por eles. Assim chamaremos ainda mais a atenção:
http://www.facebook.com/pages/Prefeitura-Municipal-de-Formosa/227081883968485?ref=ts&fref=ts
http://www.facebook.com/camaraformosa
Contatos de progamas de tv para que todos deixem sua mensagem pedindo para que mostrem o caso na tv :Se várias pessoas se cadastrarem e enviarem a mensagem, a chance de sermos recebidos por um programa de grande audiência é muito grande!!
PROGRAMA DO DATENA
http://www.band.com.br/brasilurgente/



http://www.sbt.com.br/inscricoes/ratinho/sonho/


http://rederecord.r7.com/fale-conosco

http://falecomaredeglobo.globo.com/


LUCIANO HUCK - CALDEIRÃO
(21) 2444-5535
rodrigo.rocha@tvglobo.com.br - Coordenador / Chefe de Produção
claudio.rodrigues@tvglobo.com.br - Coordenador / Chefe de Produção
PROGRAMA DO RATINHO
walterscaramuzzi@sbt.com.br - (11) 3687-3694/98
valeriafelix@sbt.com.br - produtora
fernandaqueiroz@sbt.com.br - produtora
erikacolabello@sbt.com.br - produtora
Segue o passo a passo para o cadastramento correto nos programas da Rede Globo:
SÃO PAULO
Band SP – faleconosco@band.com.br
Telefone da Band SP 11 – 3743.9647 e 11 - 3131.1313
MINAS GERAIS
Band Minas – band@bandmg.com.br
Telefone da Band Minas 31 – 3349.5300
Querido amigos chamo Geovane Pereira R. de Brito, tenho 15 anos e moro em Formosa-GO, tenho uma doença que se chama Distrofia Muscular Polineuropatia Sensitiva-motora, já estive internado muito tempo, fui para UTI, tive parada cardíaca, precisei fazer traqueostomia para respirar e gastrostomia para me alimentar, consegui me recuperar, mas para voltar para casa precisaria de um Ventilador Mecânico, eu ganhei e fui para casa. Mas agora esse ventilador não está mais suprindo minhas necessidades, pois ele é infantil e eu estou crescendo, às vezes não consigo respirar sozinho, principalmente quando estou dormindo, a minha mãe já não dorme mais, porque passa a noite toda ao meu lado, com medo de que eu pare de respirar. mas, por favor, me ajude a conseguir esse Ventilador, para que eu não precise voltar a morar no hospital, lá fico triste, pois não posso ir à escola, não posso brincar com meus amiguinhos, já fiquei vários dias sem ver o Sol, pois no hospital tem que ser tudo fechado para me proteger dos bichinhos que causam doenças, não quero passar por tudo isso de novo, te peço que nesse estou muito triste de ter que voltar para UTI ja minha vida preso em um hospital ate agora ão conseguimos a compra meu respirador minha mãe vai conversa com o medico para eu voltar para o hospital pq estou ficando cansado estou ficando com faltar de ar quero muito continuar vivendo em casa, com a minha mãe, mas sem esse ventilador não posso ficar em casa. A minha mãe já pediu ajuda no Ministério Público, mas como eu ganhei esse ventilador infantil há algum tempo, disseram que vai demorar conseguir outro. Então só me resta continuar pedindo ajuda, divulgar a minha campanha e contar com a sua ajuda Papai Noel. CARTA PARA PAPAI NOEL!!!!!!!AGENCIA 0791 OPERAÇÃO 013 CONTA 33203-1 CAIXA ECONÓMICA FEDERAL... GEOVANE PEREIRA DE R.BRITO OU AGENCIA 077 CONTA 007908-3 BRB GEOVANE PEREIRA DE R.BRITO !!!!!!! AMIGOS ESTOU PRECISANDO DESSE RESPIRADOR COM URGENCIA.

Fonte: Leo Veimrober, SBT Repórter

Andréa Luzana Calhau


terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Natal Festa Pagã e Injusta Casal mora em cima de parada de ônibus


O Natal nada mais é do que uma grande farsa, festa altamente comercial que só revela para nós as diferenças gritantes em nossa sociedade, enquanto alguns privilegiados estão a se fartar em seus banquetes selecionando os seus convidados. Há aqueles que não podem nem sonhar com uma ceia esquecidos pelo mundo. Festa deprimente, jamais citada na bíblia, onde o Messias com certeza não se sentiria bem em se fazer presente seja em qual lugar fosse realizada. Mas as pessoas nem sequer procuram conhecer a verdadeira origem do Natal. 
Encontrei esta matéria e separei um trecho para que possam meditar um pouco, poderão ver tudo a respeito da criação do natal, acessem  o link abaixo e leiam na íntegra.


Nasce o Papai Noel
Ásia Menor, século 4. Três moças da cidade de Myra (onde hoje fica a Turquia) estavam na pior. O pai delas não tinha um gato para puxar pelo rabo, e as garotas só viam um jeito de sair da miséria: entrar para o ramo da prostituição. Foi então que, numa noite de inverno, um homem misterioso jogou um saquinho cheio de ouro pela janela (alguns dizem que foi pela chaminé) e sumiu. Na noite seguinte, atirou outro; depois, mais outro. Um para cada moça. Aí as meninas usaram o ouro como dotes de casamento – não dava para arranjar um bom marido na época sem pagar por isso. E viveram felizes para sempre, sem o fantasma de entrar para a vida, digamos, “profissional”. Tudo graças ao sujeito dos saquinhos. O nome dele? Papai Noel.
Bom, mais ou menos. O tal benfeitor era um homem de carne e osso conhecido como Nicolau de Myra, o bispo da cidade. Não existem registros históricos sobre a vida dele, mas lenda é o que não falta. Nicolau seria um ricaço que passou a vida dando presentes para os pobres. Histórias sobre a generosidade do bispo, como essa das moças que escaparam do bordel, ganharam status de mito. Logo atribuíram toda sorte de milagres a ele. E um século após sua morte, o bispo foi canonizado pela Igreja Católica. Virou são Nicolau.
Um santo multiuso: padroeiro das crianças, dos mercadores e dos marinheiros, que levaram sua fama de bonzinho para todos os cantos do Velho Continente. Na Rússia e na Grécia Nicolau virou o santo nº1, a Nossa Senhora Aparecida deles. No resto da Europa, a imagem benevolente do bispo de Myra se fundiu com as tradições do Natal. E ele virou o presenteador oficial da data. Na Grã-Bretanha, passaram a chamá-lo de Father Christmas (Papai Natal). Os franceses cunharam Pére Nöel, que quer dizer a mesma coisa e deu origem ao nome que usamos aqui. Na Holanda, o santo Nicolau teve o nome encurtado para Sinterklaas. E o povo dos Países Baixos levou essa versão para a colônia holandesa de Nova Amsterdã (atual Nova York) no século 17 – daí o Santa Claus que os ianques adotariam depois. Assim o Natal que a gente conhece ia ganhando o mundo, mas nem todos gostaram da idéia.

HÁ TRÊS MESESCasal se abriga nas alturas
Quem passa pela Avenida Pessoa Anta, na Praia de Iracema, perto do prédio da Secretaria da Fazenda (Sefaz), nem observa que um casal de moradores de rua vive nas alturas. Não moram na cobertura de um prédio chique e nem em um sobrado de janelas para o mar. Escolheram um local mais inusitado: em cima de uma parada de ônibus.

Gerliane Sousa, 34, e Ismael Araujo, 31, vivem lá há três meses, sob os olhares curiosos. Dormem, se alimentam, trocam de roupa e até recebem visitas. A escolha do cantinho apertado foi devido à maior segurança.

"Aqui no alto ninguém incomoda tanto e nem roubam nossas coisas. Temos mais privacidade e, ainda, temos as luzes de natal lindas lá do prédio da Sefaz piscando à noite", contou a jovem que vive na rua há 4 anos.


Andréa Luzana Calhau

terça-feira, 31 de julho de 2012

Anônimos e Excluídos pede Justiça no Caso de Vitor Suarez


 Comecei este Blog no ano passado no dia 19 de Dezembro de 2011, uma idéia que surgiu de repente e quando vi já era um fato! 
Comecei as postagens defendendo aquilo que acredito, deve ser mais respeitado: Seres Humanos que não são  chamados pelos seus  nomes, mas por um rótulo : Moradores de Rua.
 Sempre me chamou a atenção essa gente esquecida, moro na Capital da Bahia, minha terra amada, mas que ao mesmo tempo sofrida.  É impossível sair de casa e não perceber a desigualdade pelas ruas. É incrível eu sei que tem muita gente que finge não ver, passa meio que distraído, mas lá no fundo, viu, sentiu, só não quer mesmo é se envolver na dor do outro. Afinal é com ele, quem mandou não estudar? Porque não pensou em se fazer, pensou no futuro? Agora, que pague pelos seus atos, seus erros, assuma as consequências. O problema gente, é só um: Por acaso já imaginou como foi a vida daquela pessoa? Como foi sua criação, o que viu, sentiu, aprendeu, se formatou  a menor estrutura emocional na base familiar para que pudesse estar hoje em uma situação diferente? Não podemos somente julgar, apontar, condenar sem ao menos estudar as raízes, o início de tudo. Vejo uma sociedade doentia, punitiva, que precocemente condena, ao invés de tratar, curar, reestruturar, coisa que abomino, claro que como em toda regra há exceções, sei que existe porém em sua grande maioria é desse jeito que funciona.
Vamos derrubar tantos conceitos, preconceitos, abrir novas portas, enxergar de outra forma, trabalhar unidos em prol do bem daqueles a quem foi negado tanto pela vida.
 Quase um ano após criar este blog quero dizer que continuo pensando o mesmo jeito, apesar de ter desanimado diante da frieza com que as pessoas lidam com a situação dos pobres,dos que vivem pelas ruas. Sei que   muitas vezes são tratados com desprezo, indiferença, e isso dói demais, mas  venho refazer minhas forças, minha esperança com vocês meus Leitores, que não me abandonaram, pensam como eu e me entendem bem. 
Apesar de tudo estou muitíssimo feliz pois ainda que afastada, trabalhando mais no Facebook e Twitter e outros projetos que tenho, já somos 101 Seguidores, com mais de 10202 visualizações de Página contando com pessoas de vários países. E desde março não há postagens sequenciais, dei uma parada para por as idéias em  dias. Então o balanço que faço é positivo para tão pouco tempo de trabalho. 
                                 Caso Vitor Suarez  
Passeando pelo meu  Facebook encontrei uma postagem que com certeza merece ser vista com muito carinho, e deixo o link aqui para que vocês verifiquem o caso de Vitor Suarez o Jovem que defendeu os moradores de rua e teve seu rosto completamente desfigurado. Será que a justiça foi feita? O que aconteceu com seus agressores afinal?
Quero convidar vocês a seguir este rapaz no Twitter: @EuVitorSuarez
 Convido vocês  também,  para nos ajudar a divulgar a nossa indignação diante da ineficiência, desrespeito para com o Caso Vitor Suarez, vamos espalhar nossa repulsa, insatisfação diante  desta injustiça. 
Basta com tanta impunidade, chega de tanta letargia, não foi o rosto deles que foi todo desmantelado, quem sentiu as dores absurdas, o trauma está na cabeça dos agressores? Claro que não, mas esta  é a nossa justiça, que deixa brecha para que assassinos andem soltos pelas ruas, enquanto inocentes, cidadãos, ficam trancados dentro de casa.

Andréa Luzana Calhau

sábado, 9 de junho de 2012

Ex-presidiários gente que errou, se arrependeu e que sonha

Em minha caminhada pelas ruas de Salvador buscando ajudar os moradores de rua tão discriminados pela grande maioria das pessoas,  encontrei todo tipo de histórias. Descobri  que muitos dos moradores de  rua são pessoas sensíveis, amantes da música, tocadores de violão, amantes  da dança, sonhadores de um dia quem sabe ser escritores, cantores, dançarinos. Mas ali também estão aqueles que são  discriminados pela sociedade de forma mais notória, os ex-presidiários, pois  carregarão pelo resto de suas vidas o estigma que os destaca dentre os demais .
Ao conversar com eles,  um ex presidiário me falou que deseja escrever um livro para alertar os jovens a não entrarem no mundo do crime, das drogas, pois segundo ele só estava vivo por um milagre.  Me mostrou as cicatrizes das balas, cortes,  marcados em seu corpo e sua muleta herança dos 10 anos de cadeia que cumpriu.  Após derrame  ficou com um lado do corpo esquecido. Se arrepende de muito do que fez na juventude, disse que foram loucuras e que a maior dor foi o afastamento de sua família. Não vê os pais há anos e hoje quando vê seu primo bem de vida, bem empregado com dois carros, uma mansão, pensou porque  fez tudo errado, quanta besteira de um cabeça dura que não ouviu conselhos. Eu vi no rosto daquele homem a dor do arrependimento que chegou tarde demais,  pois segundo ele,  agora como  deficiente físico tudo seria mais difícil. Então o que ele quer fazer é ajudar outros a não passar pelo que ele passou contando sua história em um livro.  O sonho dele me emocionou, mas como ele e outros poderão  conseguir chegar a realização de tantos sonhos se nem conseguem ter uma vida relativamente normal?
Muitos moradores de rua são pessoas comuns que acabam mergulhando no mundo das drogas e ainda que por um momento sintam realmente vontade de mudar, quando se vêem já estão drogados, e assim começam cada dia  em que se repete tudo. Alguns deles ganham trocados catando lata, papelão, reciclando, outros descarregam caminhões de mercadorias e vão levando suas vidas.
Quando conversamos me informaram que o mais difícil tem sido encontrar água para beber, lavar as roupas ( por isso ficam com roupas imundas, mau cheirosos) tomar um banho. Nas noites frias os papelões é que ajudam a amenizar um pouco, outros buscam o aquecimento no álcool mesmo, outros contam com a solidariedade das pessoas que as vezes levam cobertores, roupas.
Encontrei outro, um jovem  morador de rua, ex presidiário,  que disse ser de São Paulo e iria embora no fim de semana, me mostrou um resultado de exame médico que atestava estar cm AIDS e a médica que o atendeu o informou  que mediante os resultados  só teria 1 ano de Vida. Como sua família era de São Paulo, ele me disse que pediu a médica pra sair do hospital e ir visitar sua esposa e filhos e passar o resto de dias que tinha. Seu estado realmente era gravíssimo. Fiquei impressionada quando ele me disse que muitos dos colegas que estavam no hospital há mais tempo que ele morreram não somente por causa da AIDS mas pela depressão por estar jogados lá como trapos humanos sem receber nenhuma visita, e ele como já ficou nessa situação outras vezes em  que precisou ser internado, confessou o medo da solidão, pois a doença é mais insuportável sem o amor e o apoio dos entes queridos.
Eu ainda não estava acreditando no que estava vendo,  um Jovem  que não aparentava estar com os dias de vida contados,  sentenciado daquela forma. O que eu poderia dizer? Que confiasse no Eterno e que ele poderia curá-lo. Ele relatou  que um outro amigo estava na mesma situação que ele dormindo pelas praças do centro da cidade, estava bem doente e não duraria muito tempo também.
É muito duro vermos vidas destruídas desta forma, mas esta é  a  realidade  no mundo todo.
Estes que relatei as histórias aqui resumidamente eram presidiários, mas há os que são pessoas comuns, que por algum motivo provocado por eles próprios ou por outrem,  foram parar lá, nas calçadas, debaixo de viadutos, e praças da cidade.
O Tempo é quem poderá dizer o que sobrevirá a cada um deles, as consequências dos seus atos assim como cada um de nós arcamos com o que fazemos. Pois nada se perde, plantamos e colhemos, pode levar um dia, dois 1 ano, 10, a vida toda  mas certamente colheremos.
Não é por isso que devemos deixar de estender a mão a quem quer que seja, pois ninguém está livre  de cometer erros,  e todos merecem uma nova chance, primeiro eles tem que se dar esta nova chance e nós manifestarmos através do nosso apoio.
O arrependimento verdadeiro só é reconhecido através da manifestação de  novas ações, do percorrer um novo caminho deixando para trás o que serviu como aprendizado, para vislumbrar que nem tudo está perdido, há espaço para ser conquistado.
A sociedade tem nas mãos o poder de abrir ou fechar este espaço, confirmar  ou negar uma nova chance a cada indivíduo.

                                                                                             Andréa Luzana Calhau

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Assistência Social aos pobres e Legalização de ONG (OSCIP) - Vakinha.com.br - vaquinhas online

Assistência Social aos pobres e Legalização de ONG (OSCIP) - Vakinha.com.br - vaquinhas online

Queridos Leitores como todas as tentativas que fizemos não renderam grandes resultados, resolvi para não desistir do Sonho criar esta alternativa, como forma de buscar recursos para continuar ajudando as pessoas. Uma idéia brilhante que muitos tem utilizado para conseguir superar as dificuldades na concretização de seus objetivos.Está inviável trabalharmos e espero poder contar com vocês, deixando claro que poderão acompanhar os nossos trabalhos aqui no Blog, em minha página no Facebook:
https://www.facebook.com/anonimoseexcluidosresgatavidas?ref=tn_tnmn

Nada na vida é fácil, nada mesmo, sem esforço e dedicação não chegamos a lugar algum por isso quero perseverar, acreditando que por mais escuro que pareça uma Luz há de brilhar sempre!

Qualquer dúvida entrem em contato: calhau.dea@gmail.com

Obrigada,

Andréa Luzana Calhau